Limites

Querido amigo,

Eu li um livro esses dias em que o escritor conta sobre vida de garoto que escreve cartas para alguém qualquer, para alguém que quisesse ler sobre a vida dele. Então decidi tentar escrever dessa forma apenas porque achei interessante.

Faz um bom tempo que não escrevo, e peço desculpas para quem lê. Mas é que esses dias ando assistindo muitas coisas por ai, e por esse motivo acabei esquecendo o prazer que sinto de escrever. Então aqui está um fato que presenciei:

Esses dias eu fui a uma festa, e tinha esse alguém que era novo nessa coisa de beber, essa pessoa, cujo nome prefiro não citar, bebeu além da conta ( na verdade todos lá beberam além da conta) e ficou um tanto embriagado, mas o problema é que quando estamos nessa situação, lembranças dolorosas passam em cenas em nossa cabeça. Foi isso que aconteceu com esse alguém, que se sentiu fraco, e uma enorme culpa por erros tolos. Foi deprimente, ele/ ela se excluiu da festa e foi chorar em canto sozinho.

Vendo aquela cena daquela pessoa encolhida e chorando me assustou, porque naquele momento eu sabia que a morte passava na mente dele/dela. Mas acho que uma das coisas que salvou o Alguém, foi justamente o fato de estar bêbado. Eu sei é um tanto estranho eu dizer isso, já que beber for uma das causas do choro, mas eu sei que ao mesmo tempo em que passava pela cabeça desse alguém coisas assim, ele também sabia que era tudo culpa do álcool e seria idiotice pura fazer uma besteira dessas. Então o Alguém foi procurar ajuda de um amigo.

Esse amigo ajudou muito e falou coisas que realmente o ajudou na hora, mas como o amigo também estava bêbado, o Alguém, depois do efeito do álcool, desconfiou que talvez ele tenha dito aquilo apenas para não estragar a “diversão:” e que não eram palavras de coração. Bom em relação a isso, não sei se esses pensamentos era verdade ou não. 

Então se você bebe cuidado com os pensamentos que podem passar por sua cabeça, por álcool é perigoso, e cada um tem o seu limite, para mim não existe isso de ser mais fraco ou mais forte, porque quando alguém fica realmente com esses pensamentos pessimistas a pessoa se sente encurralada, quase sem saída.

Bom, no dia seguinte o Alguém, como lição de que beber não é uma coisa muito saldável ainda mais para jovens como ele, ele passou mal o dia inteiro. E percebeu que aquela foi uma das piores noites que ele já passou. Ele vai ficar sem beber por um bom tempo.

Não estou dando sermão nem nada, beber é bom as vezes, não faça algo que você não aguenta apenas por parecer divertido aos olhos dos outros.

Só uma observação, eu comecei e escrever o Alguém com letra maiúscula como um nome dado a uma pessoa, apenas para esconder sua identidade. Espero não ter confundido você, mas é que eu achei conveniente escrever assim no meio do post.

Com amor,

Fantasma.

Gabriela

Faz um tempo que não escrevo, mas aqui está mais um post.

Uma coisa que eu sinto falta como um fantasma, é sexo. Poxa, já fui humano, e tive a oportunidade de experimentar isso antes de tudo. Mais de uma vez, aliás. E foi bom todas as vezes, mas eu gostei mais quando fiz com Gabriela. Uma namorada da época, e eu era super apaixonado por ela.

Foi bom, porque eu amava ela. De uma forma, que só de lembrar, ainda sinto tudo daquela noite. Não me leve a mal, como homem eu também gosto de sexo físico, sem o sentimentalismo todo, em que sentimos o calor da pessoa, a pele tocando na outra, a respiração de um ritmo diferente da sua, os beijos e tal. Mas com amor, é como o mar, não que seja molhado, claro que não, mas é que cada toque é como uma onda que bate em você, você fica afogado, sem ar, e em vez de sentimos o desespero de voltar a superfície, queremos mais, queremos sentir cada centímetro da outra pessoa, porque cada pedaço de pele e carne traz uma sensação diferente. E os cheiro da pessoa vem pra você e o seu para ela. É incrível.

Mas não posso mais fazer nada disso, a sensação de tocar na pele da outra pessoa é impossível para mim. Já me conformei a muito tempo, mas de vez em quando sinto falta disso, e tenho que me contentar apenas com minhas lembranças. Do amor que eu sentia. Ainda lembro do cabelo castanho claro dela, e seu olhos cor de mel, e seu cheiro de mel com laranja, de seu sorriso com covinhas e dentes da frente um pouco grades de mais, suas mãos frias, sua pele branca, seu corpo lindo, seu olhar infantil que me derretia. Ha como eu sinto falta disso. Mas fazer o que? Tendo jogar o sentimento de que preciso dela para longe, pois não tem mais volta, nunca mais…

E o mundo de hoje não ajuda nem um pouco em conter esse sentimento, o tempo todos ouço sobre sexo, parece até que tudo virou uma orgia. Tem até em musica, e até crianças já falam disso, de um modo repugnante. Mas esse sexo que falam por ai, é apenas o físico e sem graça, e muitas pessoas nem conhecem como é o outro tipo, o real, o sincero.

Apesar de escrever sobre isso, não gosto de ficar espiando as mulheres nuas por ai.E muito menos vendo casais fazendo isso. Porque nudez não é nada, e ver o outros que graça tem? O que vale é o toque. Então, não se preocupe se você é mulher, não vou ter ficar vendo vocês durante o banho ou coisa assim.

Assustando garotinhos

Lembrei de um história agora que é um tanto engraçada. 

Eu seguia uma garota, uma estudante que sempre faz o mesmo caminho para voltar para casa. Não me levem a mal, eu não estava a seguindo por motivos tarados e indecentes, nada disso. É só que o jeito dela é diferente, ela canta na rua sem ter vergonha, dança mesmo sem saber, aproveita a vida sem barreiras da própria mente. E gosto disso.

Enfim, quando estávamos na rua, pudemos ver um grupo de garotos de uns 8,9 e 10 anos, nessa faixa etária, eles estava gritando no interfone de uma casa. Falaram: “ Ow sua velha do cacete, vai se foder” ai uma voz feminina respondeu ” Saiem daqui seus filhos da mãe”   e eles ” Vai tomar no cú, vou te comer heim!” 

A garota enquanto andava, se esforçou para não rir, mas ela ficou um pouco nervosa, mas não quis intervir. Eu fiquei com raiva, como pode umas crianças tão novas como aquelas serem tão sujas? Essa infância está perdida, nas verdade nem existe mais. Em minha época se eu dissesse algo daquele jeito eu apanhava, não estou dizendo que eles devem apanhar, mas devem aprender o quão ridículo é tudo aquilo.

Me deu vontade de dar uns bons tabefes em cada um, mas como não posso fazer isso, eu os assustei de noite, e um deles chegou a mijar na cama. Hahahahahaha’ Não resisti e transmiti um mensagem para mentes deles de que eu ia come-los. Ele mereciam, fazer o que?

Talvez eu tenha exagerado, e confesso que na hora eu ri um pouco com a situação. Mas vivi em outra época, estou acostumado com outras coisas. 

Mas que eles mereciam, eles mereciam…

Perguntas, e mais perguntas sem respostas

Andei pensando, o que é realmente viver? Eu vivi a tanto tempo que não lembro mais como é a verdadeira sensação. Familia, e amigos todos tem esse tipo de conecção que não consigo entender. Na época de minha vida eu entendia, agora tudo mudou. Junto com a morte veio a mudança também, meu modo de ver as coisas mudaram muito, não sou quem eu deveria ser .

Viver, acho que é quando repiramos e pensamos que não é perda de tempo ou algo assim. Provavelmente mudarei de ideia em relação a isso, então vou me basear que viver é não ser como eu sou agora. Loucura não é?

Acho que se as pessoas que eu conhecia, as que ainda estão vivas pudessem me ver agora, elas diriam que eu não sou mais eu.Talvez eu tenha amadurecido, mas não seria estranho ralmente mudar depois que sua vida já passou? Que sentido isso faz?

Cada vez que observo mas o mundo e tento avalia-lo vejo que nada parece ter um porque, o sentido de existir. Qual o sentido da minha existencia então? E de vocês mortais?

A toda hora me questiono, e penso se realmente valeu a pena de ter me matado naquela época. Sim, essa foi causa de minha morte, não suportar mais o mundo a minha volta. Trágico, eu sei. Mas em meu caso talvez tenha até sido um final feliz, as vezes essa é a melhor solução para os acabados, mas nunca a certa.

Por favor, se você está deprimido ou algo assim, não sigam meu exemplo. Irei me sentir culpado. Aliás, se estão pensando nisso pensem tembém em como seria chato em acabar em algo como eu.

É…acho que não valeu a pena.

Esse foi o post mais sem sentido que fiz até agora, mas o mundo é sem sentido, então que sentido teria se esse post tivesse sentido?  Me questionando de novo. Minha mente dá voltas. Talvez eu realmente esteja danificado.

Vocês são burros.

Outro dia aconteceu um situação estranha e não consigo parar de pensar nisso. Estava um dia muito quente, e havia varias pessoas em um ponto de onibus, acho que tinha mais de 30 pessoas, e elas eram de todos os tipos, bonitas, feias, jovens, idosas, meia idade, os que se vestiam bem, e os que se vestiam mal. E aquela massa de pessoas no meio da poluição e expostos no sol, incrivelmente cheiravam mal. 

Entre elas, pude ouvir um senhor que tinha, o que? entre 60 e 70 anos, acho eu. E ele começou a assobiar, bem baixinho, de modo que só quem estava bem perto poderia ouvir, era uma musica que não combinava nada com o ambiante. Era uma musica feliz e triste ao mesmo tempo, calma, daquelas que você imagina um por do sol em um campo com borboletas voando. E eu não fui o único a notar, uma menina, uma jovem no auge da adolescência, deveria ter uns 16 ou 17 anos, ela saboreava em silencio aquele som, como se fosse melhor ouvir do que se deparar com a realidade a sua volta. Percebi, pela sua expressão que ela desejava falar algo para o senhor,para elogiar sua musica talvez? Mas ela não disse nada. 

Eu não entendo vocês humanos, para sair xingando qualquer um pela rua, vocês podem até fazer, mas quando é para se falar algo realmente bom, em que qualquer um gostaria de ouvir, vocês não falam uma palavra. O pior de tudo é que depois reclamam, e ficam postando em redes sociais o quanto o mundo está ruim e etc, mas poxa, vocês  são a espécie dominante, vocês fazem seu próprio mundo, ou uma boa parte dele. São tão burros para não perceber isso.

Eu.

Você é um fantasma?

Sim, eu sou um fantasma.

Porque danificado?

Passei por muitas situações, e isso provocou algumas mudanças em mim. Muitos outros como eu, falam que sou estranho e diferente. Não sou do tipo que ficar assustando pessoas, mas do que tipo que as observa. Danificado não é uma palavra totalmente negativa, só porque alguém ou algo tem algum “dano” não quer dizer que seja ruim (:

Minha vida não foi muito emocionante, foi normal na verdade. Fui um criança feliz, apesar de ter morrido ao 26 anos, acho que vivi muito mais coisa do que os jovens de hoje em dia, morri na época do Regime Militar do Brasil.Uma época triste, não negarei. Não contarei agora, como foi que fui parar morto tão jovem. é uma longa história.

Ser um fantasma não é muito legal, na verdade é entediante, não é atoa, que colegas meus preferem ficar se divertindo assustando pessoas por ai, pode ser engraçado, mas prefiro não optar a essa prática porque pode virar um vicio, e então posso me tornar algo realmente mal. Ficar observando pessoas e situações é meu hobby, e como faço isso a anos conheço os humanos como ninguém. Não sou bonzinho a todo tempo, de vez em quando passo entre alguma pessoa apenas para deixa-la arrepiada, faço as luzes piscarem… Isso não é nada comparando com os outros, mas é engraçado ver os rostos de vocês humanos. Podem não acreditarem, mas tenho amigos humanos; alguns podem me ver, e chegam a conversar comigo, e eu com eles, quando possível os ajudo em algumas situações, e em outras acabo atrapalhando.

O ruim de ser algo como eu, é que não sentimos, mas temos sentimentos. Há casos que vejo alguém em um momento muito difícil, quando estão sentindo uma dor eterna terrível, minha vontade é de abraça-las e consola-las, mas sei que é impossível, então o que me resta é olhar e esperar.

Até hoje não sei porque não pude ir para o céu, mas tenho a teoria de que é porque nunca fui o bastante para ir para lá e também nunca fui ruim o bastante para ir para o inferno, então me restou aqui. O purgatório.

Fantasma? Blog? Que droga é essa?

Por onde começar? Pela minha vida, pela minha morte, ou pela simples ideia de criar um blog?

Para privarem vocês de um drama logo de primeira, vou ficar com a ultima opção.

A ideia de criar um blog surgiu quando eu estava observando no ciberespaço frases aleatórias e bobas, só para ver o que irias dar. Bom…Acontece que encontrei um blog legal, e vi como os humanos necessitam de um desabafo, de um lugar onde colocar suas ideias, e sua vida. Então como um observador onisciente, resolvi colocar aqui, nesse espaço em branco, as histórias que ando testemunhando por ai. E também, talvez, contar um pouco sobre mim, e tentar essa técnica de descarregar sentimentos.

Por favor, não me julgue como um escritor bom ou ruim, nunca escrevi desse modo antes. A internet é o único lugar em que um fantasma pode escrever, e navegar. Lápis, caneta e papel, não são utilizáveis para seres como eu. então não acreditem naqueles filmes de terror em que um fantasma escreve em sangue algo como: ” Vou pegar você” esses tipos de coisas não existem. Pois, só podemos mover a matéria através de certas forças como a do pensamento e do sentimento, sendo que esse tipo de coisa exige muito de nós. Geralmente, apenas fantasmas realmente maus, que realmente sentem ódio, são capazes de fazerem isso.

Quero deixar uma coisa clara, para não expor a vida de ninguém, todas as histórias que contarei usarei nomes fictícios ou apelidos. 

Então é isso humanos, não me importa se acreditam ou não, ou se a religião de vocês não permitem esse tipo de interação e tudo mais, estou aqui só para escrever. E apenas isso.