Clones

Os clones paralelos,

Gritam, socam e marcam este.

Os erros corroem o cérebro.

Não há mais outra possibilidades

Os paralelos são um,

Que grita, soca e se marca

O sangue da consciência.

Dia a dia,

O afoga

 Sem morte.

Nunca mais a superfície.

Mergulhado se manterá.

Just go to wonderland | via Facebook

Estava ele sentado

Mas era o lugar errado

Mas o errado não importava mais

Na escuridão, o caído

Da gravidade, sua lei

O barulho de um grito do silêncio interno

Porque não foi no certo?

Porque a lei não foi quebrada?

Porque a gravidade não é inversa.

A lua iluminou o horror

Esse silêncio nunca mais gritou.

 

Memórias

Elas nascem no momento que o cérebro registra a situação, 

As vezes ela é esquecida, como todas as pessoas um dia são.

Elas são coisas tão vivas dentro de ti,

Que as más o corroem,

E as boas o ilumina.

São quase humanas.

Pois, na essência

Um sentimento.

E junto a você,

Em um dia

Morrerá.

“Raros são aqueles que decidem após madura reflexão; os outros andam ao sabor das ondas e longe de se conduzirem deixam-se levar pelos primeiros.” – Sêneca

Minha verdade

As vezes acho que me perco, nesse turbilhão de mentiras, o mais engraçado é q a mentira vem de várias formas e formatos parece até algum produto a ser consumido, como uma droga.

A mentira pode vim em um sorriso, em um olhar, em um gesto, em palavras, roupas e até cheiros.

Estamos rodados de mentiras e todos nós somos mentirosos, porém quem adimite?

Ser um mentiroso as vezes nem é um insulto mas pode ser uma qualidade. Ah! Como eu queria mentir bem!

O que posso dizer? a arte de mentir é maravilhosa, olhas os atores e atrizes.

Afinal, porque estou escrevendo doideiras? Acho que meu grau de sanidade não é muito elevado,

Mas quem liga?

Você?

ou seja, ninguém?

Sim, você é um ninguém, porque é apenas mais alguém em 7 bilhões de pessoas.

Estou falando a verdade, mas não quero te por para baixo. O problema é que essa é a pior verdade que existe, o fato de não sermos ninguens, mesmo que no futuro você seja alguém importante para o mundo, por exemplo se você descobrir a cura para o câncer, por mais que isso seja um algo grandioso, você apenas terá atrasado a morte dessas pessoas. Essas pessoas que são consideradas importantes são todas em vão, pois todos vamos ter o mesmo fim. E um dia, talvez, todos os humanos vão deixar de existir.

Por esse fato nós muitas vezes temos que mentir para nós mesmos. Dizendo: Eu sou uma pessoa boa, eu faço diferença, eu posso fazer a diferença ou até, vai ficar tudo bem. Tudo, para não cometer algo que as pessoas chamam de loucura,depressão ( entre aspas, pois loucura é algo um tanto relativo), e foi isso que eu não fiz. Disse a verdade para mim mesmo. E acabei aqui, Entre o espaço e o tempo.

Aqui vai mais um fato do dia a dia.

Lá estava a menina mutilada por suas ilusões, sonhos massacrados pelo príncipe encantado, em uma dança incessante de giros, mão se movendo, pés que não param. Lá estava o menino agoniado pela realidade intensa, era movido pelo “preciso ir pra casa” que enchia sempre sua mente quando procurava a cura de suas feridas. Ali era sua casa. A paz, a loucura, o álcool, as luzes, a musica, o cigarro, as drogas. Dançando, girando, gritando. Eles ficaram unidos pelo “lar”.

E logo ali do lado tinha um quarto, o santuário sagrado de uma cidade perfeita, e lá houve a comunhão de feridas, de lagrimas, toques, gritos e prazer.

Até que o sol atingiu sua pele, ela acordou do seu sonho perfeito, o cheiro de perfume, cigarro e bebida ela inalou de suas próprias roupas e cabelo, o ato sagrado estava marcado, de uma forma assustadora, fria e linda. Ela fugiu.

Algo o queimava tão intensamente que o forçou a sair de seus pensamentos inconscientes, eram os raios solares que saiam da janela. Com suas roupas jogadas junto estava seu relógio, era uma segunda feira. Meu Deus! Ele tinha que ir. O choque da realidade o atingiu, a cama estava vazia, e a única marca dela era a lembrança e os chupões em seu pescoço. Ele nunca mais veria a perfeição que não tinha nome, não o fato de uma beleza, mas a essência em si. Inconformado, voltou a dormir.

Correndo, ela não imaginava que se arrependeria daquele ato precipitado. Pois estava feito, a princesa deixou de ser princesa pela traição. Mas mau ela sabia que o príncipe não passava de um plebeu e o plebeu da noite era nada mais nada menos que o príncipe.

E a marca já tinha sido deixada, não pelos cheiros, chupões e lembranças. Mas pelo óvulo fecundado em seu útero.

(Ainda decidirei se terá continuação ou não :))

Apenas mais um.

As vezes um pouco de ousadia e riscos é bom, outras vezes não.

Como aquele homem que estava em um ônibus, e então um ladrão entrou e fez de todos o passageiros, reféns. Mas esse homem conseguiu escapar puxando as alavancas de emergencia, saindo pela janela.

Foi um risco muito grande,um simples impulso, mas isso o fez sobreviver e as vezes sobreviver não é apenas sobre ter uma boa saúde ou ter cuidado para não ser morto nesse mundo selvagem.

Sobrevivencia é se manter vivo, e para viver temos essas necessidades sobre o que sentimos e pensamos. Meu impulso uma vez foi precipitado, mas talvez nesse caso não tenha sido uma ação que merece um arrependimento, porque era preciso no momento, como um desejo.

E o que somo nós sem desejos?

Algo vazio. Morto.

É claro que temos que ter um certo controle quando esse desejo pode prejudicar alguém. Mas tirando isso, deixem a pessoas se realizarem, e quem seria vc pra julgar?

Apenas mais um sobrevivente.

Um dia bom e triste.

Eu encontrei 2 amigas qua não via a um tempo. São duas humanas, que eu sinto um carinho especial. Talvez porque eu as acompanhei desde quando eram pequenas. Sei de muitas coisas sobre elas. O fato de eu revelas hoje, me trouxe lembranças, e também me fez ver que de certa forma elas são minhas amigas, masmo que não saibam que sempre estou ao lado delas.

Foi muito bom ve-las, ainda mais em um dia tão lindo. Mas eu ouvi algo que elas conversavam que me cortou o coração. Uma delas disse que ficou grávida e abortou, por causa da idade e também da falta de condição de manter uma criança. O maior problema não foi isso, foi que a culpa dela é tão agonizante que até eu senti. Essa situação me fez pensar no que eu faria no lugar dela. E me dei conta que provavelmente eu faria a mesma coisa. Então quem era eu para julga-la? 

O que mais doeu foi a exprassão dela…

Aqueles olhos brilhantes de lágrimas…

Os olhos que antes eram tão cheios de alegria e esperança, agora eram de culpa.

Uma culpa que provavelmente ela levará pra sempre. :/

Morto por um minuto

Faz um bom tempo que não apareço aqui. Confesso que por um tempo eu esqueci como era bom encontrar esse refúgio confortável. Bom algo que aconteceus nesse ultimos meses foi :

Cada vez mais me sinto menos invisível

Bom como posso explicar isso…parece que todos a minha volta de certa maneira estão me vendo, e o mais incrível é que não parecem se assustarem tanto com minha presença. Me pergunto se isso acontece porque eles de fato não me conhecem de verdade, e do que eu posso ser capaz, das coisas horriveis que um fantasma pode fazer…Ou talvez seja por que essas pessoas realmente gostam de mim.

O problema é que não sei se seguro o  pensamento negativo da coisa ou o positivo, pois a meneira negativa é um aviso, uma forma de me segurar das coisas horriveis que eu posso acabar fazendo ( parecendo até vampiro nessa parte hehehe), porém a parte positiva é que o sentimento de eu ser possivelmente um bom fantasma é libertador e aconchegante (: Estaria eu sendo egoísta por me deixar levar e talvez correr o risco de magoar alguém?

Tentei levar a coisa meio afastado e meio junto desses seres, mas eles sempre acabam querendo mexer em coisas sobre mim que pode acabar os prejudicando… então tento ficar afastado, mas ai os magoo por estar me afastando sem uma explicação. Louco não é? Mesmo sendo um fantasma não consigo simplismente desaparecer, por todas as pessoas que acabo ligado, fica ligado pra sempre, as vozes delas, mesmo longe, eu consigo ouvi-las, e isso as vezes é torturante, e isso me faz querer morrer por um minuto. Me desligar do mundo e ficar no silêncio por um minuto ( apesar de já estar morto .-.)